Setor de endemias e vigilância em saúde divulga ações

12345O Departamento de Vigilância em Saúde, através do Setor de Vigilância Sanitária realizou em nosso município a Campanha de vacinação antirrábica canina, nas áreas urbana e rural, imunizando um total de 7.947 animais, sendo 4.106 na área urbana e 3.841 na área rural.

Equipes dos agentes de endemias recebem um novo kit completo para realização dos trabalhos de campo no combate a dengue em nosso município.

Agentes de endemias capacitados com EPI completo realizando burrifação em pontos estratégicos para eliminação dos focos do mosquito da dengue (Aedes Aegypti).

A coordenação de endemias do município com a participação do técnico da FUNASA-ESCADA-PE, realizarão no dia 14/03/2013 no distrito de massauassu, palestra educativa sobre a prevenção e controle da leishmaniose com a participação da equipe do PSF local e comunidade em geral.

Escada terá a 1ª Mostra de Choro

amostra_choroNo próximo dia 23 de abril, o Brasil comemora o Dia Nacional do Choro. A data foi escolhida em homenagem ao nascimento de Pixinguinha, um dos grandes ícones desse estilo musical.

Entrando no circuito inédito de apresentação de música do gênero, a prefeitura de Escada, através da Secretaria Educação e Cultura, vai apresentar a “1ª Mostra de Choro de Escada” com a apresentação de músicos da cidade.

Wellington Gomes, Dímison César, Ailton Martins, Humberto Martins e Carlinhos do cavaco são alguns dos músicos que apresentarão peças de choro no pátio do comércio, no dia 23 de abril, a partir das 20 horas.

Histórico O choro é um estilo musical surgido no final do século 19. Dentre os principais expoentes da música constam Chiquinha Gonzaga, Ernesto Nazareth, Pixinguinha e outros. “O choro merece uma apresentação de qualidade. E é isso o que nós queremos fazer”, prometem os músicos.

População de Escada ainda sofre com assaltos constantes

arma-assalto1Nos últimos anos, prédios comerciais e públicos, e principalmente a população, vêm sofrendo ações sistemáticas de ladrões que pouco a pouco impõem a rediscussão do sistema público de segurança em nosso estado em nossa cidade.

O crescimento do município, com destaque para a zona urbana, sem o devido acompanhamento da infraestrutura, a falta de articulação e organização dos comerciantes e a deficiência na orientação da população sobre procedimentos para reduzir esse tipo de crime, parecem exigir mais reflexão sobre o assunto.

A conclusão, já apresentada por muitos, é de que segurança é uma questão que envolve todos: poder público, empresas privadas e população. Nada será construído se as ideias não forem pensadas e executadas de forma coletiva e objetiva.

Talvez fosse o caso de, na conferência das cidades, que deve acontecer ainda este mês de abril, sugerir a segurança como prioridade no novo ordenamento do município; insistir na ampliação do efetivo policial; regulamentar o transporte de motos, além de outros procedimentos. Mas não esquecer que parte significativa da violência decorre de outras situações como mais e melhor educação, cultura, etc. São diversas variáveis que precisam ser exaustivamente discutidas e, repito, por todos.

Antiga Escola Agrícola de Escada passará por reforma

A Secretaria de Ciência e Tecnologia Aviso de Anulação de Licitação publicou extrato de Tomada de Preço Nº 003/2012 – Processo Nº 044/2012 com o objeto de reformar e recuperar a Escola técnica Agrícola Luiz Dias Lins no município da Escada.

O valor da obra, que surge como fator positivo no incremento e valorização do potencial da antiga escola agrícola, está estimado em R$ 672.264,11. O início das obras e a empresa que realizará os trabalhos ainda não foram divulgados.

“Jó”: um nome simples para um grande artista escadense

181265_184873834973545_1227281216_n579741_314126068714987_1513817114_nJoseildo Ivanildo. Escadense, 33 anos, com formação em ensino médio. Até ai não existe novidade. O grande diferencial desse homem simples é a capacidade criativa de suas mãos e sua obstinação em instrumentos de percussão.

O início dessa carreira surgiu nos palcos, quando ainda tocava em busca de sua identidade cultural. Hoje, depois de treze anos de dedicação ao trabalho, pode-se afirmar que “Jó” é um artista a espera de uma oportunidade para ganhar o mundo.

Em seu currículo passam exposições através da Associação dos Artesãos de Pernambuco (com sede em Olinda), a Fenearte e filiação ao sindicado dos artesãos. Em sua sobras, birimbaus, atabaques, afoxés, xequerês, zabumbas, pandeiros e tantos outros instrumentos.

Este ano, com a novidade da participação de Escada na FENEARTE, “Jó Percussivo” será um dos expositores e, não tenho dúvidas, representará Escada com todo o potencial que lhe é peculiar, mas sem perder a simplicidade do povo do interior. Jó, um artista que merece nossa homenagem.

Para conhecer os trabalhos de Jó, acesse sua fanpage http://www.facebook.com/joseildo.ivanildo

Prefeitura de Escada: Dinheiro público transformado em escombro

O desperdício sempre foi uma das marcas de grande parte das administrações públicas em nosso país. Este, certamente é um dos desafios que precisa ser resolvido por quem controla a gestão do patrimônio público.

Não é diferente em Escada. O ex-prefeito, aliado de muitos que criticam este blog, tem vendido informações de que a prefeitura de Escada é um “verdadeiro paraíso”: contas saneadas, dinheiro no banco, tudo certinho. Não queremos fazer julgamentos, mas pelo que foi encontrado nos fundos da prefeitura, dá pra desconfiar do “miolo” dessa história.

As fotos revelam por si só um absurdo descaso com as coisas do povo. Centenas de bancas escolares, camas de hospitais, carcaças de computador e diversos outros objetos foram abandonados em um galpão sem qualquer cuidado.

Boa parte das bancas foram quebradas pelos próprios alunos que, por falta de esclarecimento, não entendem estes patrimônios como seus; os computadores ou foram sabotados ou se tornaram obsoletos; e a barraca de Arnaldo está ali por tirania e perseguição política. Agora perguntemos: isto é ou não descaso com a coisa pública? Se for, como vamos responsabilizar quem administrou? Se não for, então, de quem é a culpa por tamanho descaso? Com a palavra, os nossos críticos.