A bela história que se esconde ao longo do caminho

imageA cavalgada Sabor da Lua vai se concentrar no Pátio da Estação Ferroviária em Escada, que foi inaugurada em 30 de novembro de 1860. Na década de 1970 o prédio original foi demolido, para dar lugar a um “prédio moderno”, que hoje infelizmente se encontra em ruínas e abandonado.

Do outro lado da rua, um prédio gigantesco de cor amarelada vai chamar a atenção de todos os presentes. Trata-se da Companhia Industrial Pirapama, fundada pelo Dr. Luiz Dias Lins em 1925, que beneficiou em 1926, a Cidade de Escada com a energia elétrica e, no ano seguinte, a cidade de Vitória de Santo Antão.

Seguindo pela rua Barão do Rio Branco, cavaleiros e amazonas irão penetrar na rua João Manoel Pontual, deparando-se com prédio histórico do Cine Theatro Visconde de Utinga, datado de 1934.

Mais na frente, na esquina com a Dr. José Henrique, está o prédio da Câmara de Vereadores construído no fim da década de 30 do século XX e inaugurado no ano de 1942, pelo então prefeito de Escada, Sr. Álvaro Sampaio, para ser a sede da Prefeitura Municipal, a qual funcionou até o ano de 2008, quando foi doado ao Poder Legislativo.

Subindo as ladeiras da princesa dos canaviais, a Sabor da Lua chegará até a famosa Rua da Matriz. A principio, no fundo, já se destaca a Igreja de Nossa Senhora da Escada, no entanto, antes dela, abre as portas da rua o Museu Cícero Dias, pintor famoso mundialmente.

Cícero nasceu no dia 05 de março de 1907, no Engenho de Jundiá, em Escada, um dos maiores pintores brasileiros e a maior personalidade escadense.  Foi o sétimo filho do Sr. Pedro dos Santos Dias e da Sra. Maria Gentil de Barros Dias. Era neto do Barão de Contendas, Antônio Epaminondas de Barroa Correia, por parte de mãe, e então presidente da Província de Pernambuco na época. Até a década de 20, no inicio , até aos 13 anos viveu no engenho.

Depois chegarão a Casa da Baronesa de Suassuna, residência construída no século XX e aos terraços da belíssima Igreja Matriz, uma das mais exuberantes do Nordeste Brasileiro.

A “Matriz de Escada” foi construída em 1874, pelo missionário frei Caetano de Messina Sobrinho. O projeto arquitetônico é de autoria de frei Francisco de Vicenzi, o famoso arquiteto da Igreja da Penha.

O grupamento de cavalos e simpatizantes darão retorno pelas principais ruas, passando na surpreendente Ponte do Atalaia, sob o largo Rio Ipojuca e ao fundo vista privilegiada do Parque Waldomiro Santos, onde ergueu-se a Academia da Cidade.

Passando pelo bairro da Vila Operária, onde residiam trabalhadores da CIA Pirapama, a Sabor da Lua seguirá até as surpreendentes palmeiras imperiais do engenho Sapucagi. Ao fundo, se destaca a casa grande do engenho, que foi construída na segunda metade do século XIX, mais precisamente no ano de 1862. Possui  15 quartos, 10 banheiros,  2 salas grandes e 1 capela do lado esquerdo. Representa um dos marcos da arquitetura rural, sendo um dos mais belos exemplares.

Ao atravessar a PE 45, que liga o município de Escada ao município de Vitória de Santo Antão, os cavaleiros e amazonas seguirão até o Engenho Alegria.

A casa-grande do Engenho Alegria é datada de 1926. Neste engenho está localizado, mais de 200 hectares de mata atlântica, situada nas porções mais elevadas. Em seu entorno é possível encontrar uma fauna abundante como: quatis, cobra-siri, gato maracajá, gaviões, cotias, tetéus, etc…  Bem como uma flora rica em espécies vegetais. Completando este ecossistema, rios, quedas d’águas, nascentes, bicas, fazendo com que as trilhas seja uma verdadeira aventura com atrativos tanto históricos, quanto naturais, com belos exemplares da arquitetura rural do Estado de Pernambuco. Atualmente lá funciona um engarrafamento de água mineral da empresa Extra.

Parada obrigatória para um bate-sela regado a churrasco e a aperitivos!

De volta, pela Avenida Zenóbio Lins, passarão defronte ao Sitio do Alemão, reserva de mata atlântica situada no coração da cidade, que até hoje se mantém preservada. O término do percurso se dará em frente ao Ginásio de Esportes Arlindo Serpa, onde, como se costuma falar no nordeste, o forró “vai dá no meio da canela”.

A cavalgada vai acontecer no próximo dia 9 de novembro, a partir das 19 horas.

Fonte de pesquisa: site Escada resgatando a nosso história.

Anúncios

2 pensamentos sobre “A bela história que se esconde ao longo do caminho

  1. peço ao responsável pela publicação dos feitos desse ano de 2013 feito pala prefeitura que seja apresentado no final de ano as conquistas e os projetos a ser realizados. ciro

  2. Belíssima narrativa referente ao caminho a ser percorrido pela #Caminhada da #LUA
    Vale a pena ler. E participar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s